NotíciasEventosGaleria de FotosNotas e Avisos

Notícias IPMI

IPMI discute equilíbrio financeiro e atuarialIPMI discute equilíbrio financeiro e atuarial7 Jun 2017
Equilíbrio Financeiro e Atuarial – todo sistema previdenciário tem que ter, pois consta do art. 40 da Constituição Federal.
Elzinha da Saúde se aposenta e diz que está pronta para ser avóElzinha da Saúde se aposenta e diz que está pronta para ser avó6 Jun 2017

Elza de Jesus Cabetti Oliveira, mais conhecida como Elzinha da Saúde, aposentou-se no dia 1º de fevereiro deste ano, como oficial de administração no Departamento Materno-Infantil da Secretaria Municipal da Saúde.
Mas para chegar até aqui, ela começou a trabalhar aos 16 anos na Policlínica São Lucas onde permaneceu por seis anos. Em fevereiro de 1988 foi chamada a exercer o cargo de auxiliar de escritório na Secretaria de Assistência Social onde ficou até 1996, alternando os cargos de secretária executiva e oficial de administração. Neste ano passou a ser secretária do Fundo Social de Solidariedade.
Em 1997 Elzinha retornou para o cargo de Oficial de Administração no Centro de Saúde I, mais conhecido como Postão. Em julho de 2004 passou a exercer o cargo de assistente de administração, em novembro de 2005 mudou para oficial de administração e em 2009 ocupou esse mesmo cargo no Departamento Materno-Infantil onde permaneceu até sua aposentadoria.
Uma pessoa que marcou muito sua vida durante esses anos trabalhando diretamente junto à população foi a assistente social, a saudosa, Odila Rocha que virou sua conselheira e confidente.
Elza lembra ainda que, quando entrou na Prefeitura, havia feito o curso de datilografia há 10 anos e que, no primeiro dia de trabalho, deu de cara com uma enorme máquina de escrever. “Eu não sabia onde ficava a letra “i”, para escrever Itapeva e, graças a Deus, meus colegas de serviço me ajudaram, não apenas com esse pequeno detalhe, mas em tudo. Não tenho do que reclamar. Foram mais de 28 anos de serviço público e só guardei boas lembranças de tudo que vivi. Além disso, tudo que consegui na vida: casa, carro, foi fruto do meu trabalho e do meu marido, hoje também aposentado da Maringá”, diz ela com orgulho.
Falando em marido, Elza se casou aos 23 anos com José Roberto de Almeida Oliveira com quem tem os filhos Camila e Flávio Reinaldo, ambos casados. “Agora que já me aposentei, estou esperando meus netos”, finaliza Elzinha com um largo sorriso.
 

Professora se aposenta pelo IPMI e diz que sentirá falta das criançasProfessora se aposenta pelo IPMI e diz que sentirá falta das crianças6 Jun 2017

Aos 50 anos, Silvana Bueno da Silva, professora de Ensino Fundamental encerra mais um ciclo de sua vida ao se aposentar na Escola Municipal Oliva Gomes de Melo, localizada no bairro da Caputera.
Moradora do Distrito do Guarizinho, iniciou sua carreira nos bairros da Chapada e Conquista e, naquela época morava na própria escola e fazia parte de um projeto do Estado que incluía ensino para adultos, execução de hortas comunitárias e visitas nos demais bairros. Havia uma merendeira na escola, porém os responsáveis pela limpeza eram os próprios professores.
Com a municipalização do ensino fundamental, Silvana pegou aulas nos bairros Guarizinho, Amarela Velha e Caputera o que facilitava sua vida para poder cuidar dos dois filhos. “Quero aproveitar para agradecer minha mãe Lázara, que todos conhecem como Titico, que me ajudou muito nessa fase, pois além de dar aulas, eu fazia faculdade de Pedagogia na Fait à noite e só chegava em casa quase uma hora da manhã”, lembra a professora que se formou com a primeira turma desse curso.
Depois de terminar a faculdade fez um curso específico para concurso com Vânia Paschoa e com o supervisor Márcio e conseguiu passar em 2009, ingressando na rede municipal em 2010. Nessa época pode contar com o apoio de seu marido, que ficava com as crianças aos sábados para ela poder acompanhar o curso.
Silvana utilizava uma moto para chegar mais rápido aos seus compromissos entre um bairro e outro e, em uma de suas idas e vindas, estava com a colega Marisa Werneque na garupa, vindo do Guarizinho para Itapeva. No caminho passaram em cima de um galho de eucalipto e, apesar do susto, continuaram a viagem. “Na segunda-feira, Marisa aparece com o pé engessado, brigando comigo, por conta do tal galho de eucalipto que atropelamos”, lembra com saudade a professora.
E por falar em saudade ela diz que nunca vai esquecer da equipe da Escola Municipal Oliva Gomes de Melo, onde ficou de 2010 até 2017, pois criou um grande laço de amizade pela convivência diária com os professores e funcionários. “Isso sem contar na alegria de ver as crianças aprendendo e evoluindo”, conta emocionada. Silvana faz questão de citar a diretora Adriana Lima e a Coordenadora Fernanda Macedo, que estavam sempre dispostas a ajudar em todos os projetos propostos pelos professores.
“As crianças serão minha maior saudade”, finaliza Silvana mostrando o bilhete que recebeu de um de seus alunos onde ele agradece por ela tê-lo ensinado a ler e escrever e por ter aberto seu coração para ele e seus amigos.
 

Motorista se aposenta após 25 anos de jornada mas continua a viajarMotorista se aposenta após 25 anos de jornada mas continua a viajar6 Jun 2017
No começo evitava a capital, mas com o tempo foi conseguindo driblar o trânsito de São Paulo
Após 30 anos de magistério, Francisca Dias das Chagas Jesus se aposenta no IPMIApós 30 anos de magistério, Francisca Dias das Chagas Jesus se aposenta no IPMI27 Mai 2017

Ela nasceu em 25 de outubro de 1966 em Adrianópolis, no Paraná e mudou-se com a família para Itapeva aos 15 anos. Aos 20, Francisca Dias das Chagas Jesus já era professora da pré-escola e iniciou sua carreira na APAE – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais. “Naquela época éramos em quatro professoras, poucos funcionários e cuidávamos de 30 crianças que tomavam café, banho, almoçavam e permaneciam na entidade até as 17 horas. Não havia, como atualmente, profissionais habilitados para cuidar das crianças e nós trabalhávamos período integral para dar conta de tudo”, conta ela.
Depois disso foi morar no bairro Amarela Velha e lecionar na Escola Municipal Elza de Souza Barros, período no qual também fazia faculdade de Pedagogia em Itararé. Quando precisava fazer as provas, seu irmão a levava e, assim com ele, Francisca também pôde contar com seu marido, Osmando, que a ajudava copiando as matérias de outras colegas, quando ela não conseguia ir para a faculdade.
“Tenho muito a agradecer à minha família, em especial a meus pais, Francisco Ferreira e Maria Dias que não mediram esforços para que eu pudesse trabalhar e estudar. Minha mãe, inclusive ia a pé da Vila Aparecida até a rodoviária para me levar lanche e agasalho, pois dali eu já seguia para Itararé. Por isso, hoje faço questão de ajudar meus filhos Isabelle que, com 23 anos, faz duas faculdades e já trabalha e Felippe, 19 anos, que tem vários cursos técnicos e é nosso ‘faz-tudo’ em casa, pois entende de hidráulica, elétrica e ajuda na manutenção da casa”, comenta Franscisca que, após 30 anos dedicados à educação, se aposentou na Escola Municipal Antonio Felippe como PEB I, no início deste ano.
Aposentada, ela não parou nem uma semana em casa para descansar, pois como coordenadora da Pastoral da Criança da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, desenvolve várias ações em prol das comunidades carentes, como por exemplo a do Jardim Bonfiglioli e se sente muito grata por ainda poder ajudar crianças, como fez durante toda sua vida profissional.
Entre suas melhores recordações está a época em que trabalhou no bairro da Taipinha com uma turma de alunos bastante diversificada. “Eram apenas 16 alunos, mas a faixa etária deles variava de 7 a 19 anos. Não havia sala de aula e nós usávamos um cômodo da igreja do local. As carteiras eram daquelas em que os alunos se sentavam em duplas e, a diferença de idade entre eles, que poderia ter sido um empecilho para o aprendizado, acabou sendo o diferencial que tornou aquela turma inesquecível, pois os maiores cuidavam dos menores e, se um ficava doente e não podia ir à escola, os outros levavam a lição para o colega fazer em casa. No final do ano, todos aprovados, não queriam passar para a próxima série, pois a ideia de deixar a “dona” Francisca não agradava nenhum deles”, ri a professora que fez questão de frisar também o enorme apoio que recebeu da sua diretora na época, a saudosa Vani Fortes Yamauchi.
 

Professora se aposenta e passa a dedicar-se integralmente aos docesProfessora se aposenta e passa a dedicar-se integralmente aos doces27 Mai 2017

Adelaide Fabre de Barros Lopes, casada com José Adiles Lopes há 36 anos, tem dois filhos: Thiago de Barros Lopes – professor de Ciências e Matemática e Gabriel de Barros Lopes - formado em Educação Física e empresário.
“Agradeço a Deus e à minha família as bênçãos destes longos anos de dedicação às crianças e adolescentes. Não posso me esquecer do apoio que recebi de minha sogra, Deolinda Neves Lopes, que cuidou de meus filhos enquanto eu saía para trabalhar. Comecei minha jornada na Escola Estadual Profª Zulmira de Oliveira, como professora primária”, lembra Adelaide enumerando as escolas nas quais trabalhou: Escola Estadual Prof. José Vasques Ferrari, Escola Municipal Profª Thereza Silveira Mello, Escola Municipal Governador Franco Montoro (Agrovila), Escola Municipal Prof. Antonio Felippe, Escola Municipal Ministro Sérgio Motta (Alto da Brancal) e Escola Municipal Prof. João Gilberto de Almeida Correa (São Roque). Além disso, atuou também como diretora na Escola Municipal José Mokarzel e na Escola Municipal Maria Terezinha Oliveira, ambas no Bairro do Pacova. Foi Coordenadora de Projetos da Casa do Adolescente e do PET do Jardim Maringá. Aposentou-se como Coordenadora da Escola Municipal Raphael Fabri Neto que, coincidentemente, era primo-irmão do seu pai, senhor Belmiro Fabri de Barros.
No início deste ano finalizou sua jornada como educadora, segundo ela, “com muita satisfação e alegria em poder realizar seu sonho de criança. Sempre quis ser professora e brincava de escolinha com meus irmãos, ensinando-os numa lousa feita de madeira”. Ela fez questão de registrar que sua grande inspiração foi a sua professora da 3ª série primária, Emília Calado, no então Grupo Escolar Coronel Acácio Piedade.
“Eu queria ser professora ou policial. Não consegui ser sargento nem delegada, mas na educação pude realizar todos meus sonhos e anseios. Até hoje encontro com ex-alunos que me agradecem pelos ensinamentos e isso é muito gratificante”. Para os docentes que estão na ativa ela manda um recado: “não desanimem, acreditem na educação, pois só ela mudará o ser humano”.
Adelaide tem muitas histórias boas para contar sobre sua carreira como educadora. Uma delas foi uma peça de teatro que envolveu todos os alunos da Escola Muncipal Prof. Antonio Felipe. “A peça era Rapunzel, representada pela aluna Ana Paula e nunca mais vou me esquecer da enorme trança feita de corda que penduramos no madeiramento do pátio. Na época, nossa supervisora era Maria do Carmo Campolim que nos deu todo o apoio para o evento.
Criada pela tia doceira Elza Gonçalves de Arruda, com a qual morou dos 8 aos 23 anos, até se casar, aprendeu a arte de fazer doces em compotas, cristalizados e geleias e hoje quase não dá conta de tanta encomenda. Aliás, se você quiser experimentar é só ligar pra ela e encomendar: (15) 3521 4297 ou (15) 9 9713 2595.
 

IPMI concede aposentadoriasIPMI concede aposentadorias11 Nov 2016
Onze novas aposentadorias foram concedidas pelo IPMI
IPMI abre vagas de estágio para curso de Administração de EmpresasIPMI abre vagas de estágio para curso de Administração de Empresas12 Ago 2016

Objetivando criar oportunidade de aprendizado, bem como contribuir com a formação acadêmica e o crescimento profissional do estudante, o Instituto de Previdência Municipal de Itapeva – IPMI divulga a abertura de uma vaga para estágio na sede da instituição. Destinado aos estudantes do curso de nível superior de Administração de Empresas, o estágio será desenvolvido como atividade opcional à carga horária regular e obrigatória da grade curricular.

IPMI promove curso e abre vagas para servidores públicosIPMI promove curso e abre vagas para servidores públicos6 Jul 2016

Nos dias 18 e 19 de julho, o Instituto de Previdência Municipal de Itapeva (IPMI) promoverá na Câmara Municipal um curso presencial preparatório para certificação profissional da ANBIMA CPA-10. O curso é direcionado para os membros do Comitê de Investimentos do Instituto, mas poderão participar servidores públicos municipais interessados em acompanhar os investimentos realizados pelo IPMI. As inscrições são gratuitas, porém limitadas. Serão 16 horas, das 8h às 12h e das 13h às 17h, nos dois dias.